4.6.06

Eu posso fazer mais que isso!

Não sou muito de postar textos de encorajamento no blog, mas a mensagem abaixo expressa muito a forma como penso que nós, parentes de pacientes, devemos agir. Por isso sugiro a você que a leia. Não é um texto técnico, mas é algo sobre o que realmente devemos refletir e por em prática.


EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO!
Autor: Eder Batista ...


Embora o coração dela estive pesado de tristeza e angústia, ela era muito determinada. Como qualquer outra mãe, ela gostaria que ele crescesse e realizasse seus sonhos. Agora, isso não seria mais possível, por causa de uma leucemia terminal. Junto dele tomou-lhe a mão e perguntou:
- Filho, você alguma vez já pensou o que gostaria de ser quando crescesse?
- Mamãe, eu sempre quis ser um bombeiro!
A mãe sorriu e disse:
- Vamos ver o que podemos fazer.
Mais tarde, naquele mesmo dia, ela foi ao Corpo de Bombeiros local e contou ao Chefe dos bombeiros a situação de seu filho e perguntou se seria possível o garoto dar uma volta no carro dos bombeiros, em torno do quarteirão.
O Chefe dos bombeiros, comovido, disse:
-Se você estiver com o seu filho pronto às sete horas da manhã, daqui a uma semana, nós o faremos um bombeiro honorário, por todo o dia. Ele poderá ir para o quartel, comer conosco e sair para atender às chamadas de incêndio. E se você nos der as medidas dele, nós conseguiremos um uniforme completo: chapéu com o emblema de nosso batalhão, casaco amarelo igual ao que vestimos e botas também.
Uma semana depois, o bombeiro-chefe pegou o garoto, vestiu-o no uniforme de bombeiro e o escoltou do leito do hospital até o caminhão de bombeiros. O menino ficou sentado na parte de trás do caminhão, e foi até o quartel central. Parecia-lhe estar no céu... Ocorreram três chamados naquele dia na cidade e o garoto acompanhou todos os três. Em cada chamada, ele foi em veículos diferentes: no tanque, na van dos paramédicos e até no carro especial do chefe do bombeiros.
Todo o amor e atenção que foram dispensados ao menino acabaram comovendo-o tão profundamente, que ele viveu três meses a mais que o previsto.
Uma noite, todas as suas funções vitais começaram a cair dramaticamente e a mãe decidiu chamar ao hospital, toda a família.
Então, ela lembrou a emoção que o garoto tinha passado como um bombeiro, e pediu à enfermeira que ligasse para chefe da corporação, e perguntou se seria possível enviar um bombeiro para o hospital, naquele momento trágico, para ficar com o menino.
O chefe dos bombeiros respondeu:
-Nós estaremos aí em cinco minutos. Mas faça-me um favor. Quando você ouvir as sirenes e vir às luzes de nossos carros, avise no sistema de som que não se trata de um incêndio. É apenas o corpo de bombeiros vindo visitar mais uma vez, um de seus mais distintos integrantes. E também poderia abrir a janela do quarto dele? Obrigado!
Cinco minutos depois, uma van e um caminhão com escada chegaram no hospital.
Estenderam a escada até o andar onde garoto estava, e 16 bombeiros subiram.
Com a permissão da mãe, eles o abraçaram, seguraram, e disseram que o amavam.
Com voz fraquinha, o menino olhou para o chefe e perguntou:
- Chefe, eu sou mesmo um bombeiro?
- Sim, você é um dos melhores - disse ele.
Com estas palavras, o menino sorriu e fechou seus olhos para sempre.

Diga: - EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO !

Esta mensagem não deve ficar arquivada! Encaminhe para os seus amigos!

Se é para arquivar, que seja no coração de cada um de NÓS!

"A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos"

2 Comments:

At 19:33, Anonymous paula m said...

ola miguel foi muito bom encontar este seu blog sou portugesa e vivo na suica em frevereiro deste ano meu marido entao com39 anos comecou com dores de cabeca e vomitar foi ao medico onde lhe disse k era um viros andou assim 15 dias e depois fez entao uma resunacia escusado sera dizer k era este bicho como lhe chamo eu um gliblastoma multiforma dia 28 de fevereiro foi internado fez operacao dia 1 de marco 15 depois veio para casa e2 semnas mais tarde fez radio terapia pois o medico nao kis faser a keimo ktambem estava prevista depois em maio fomos 2 semanas em portugal de ferias pois o medico dizia k lhe faria bem voltamos e ele sempre pior gradualmente ia piorando dia 6 de junho fez nova resonancia e dia 20 na consulta os medicos dizem k era melhor operarem novamente pois o tumor tinha crescido de novo e kuase atijia os 6 cm como a primeira vez em portugal fomos a um medico omopata k lhe reseitou muitos medicamentos eate uma keimoterapia natural nova no mercado mas nada sesultou a gora foi operado no dia 30 do mes passado e no dia 19 deste mes comecou com o temodal esta numa clinica de recoperacao pois nao anda nao se mexe do lado esquerdo baralha as comversas e husa fralda pois se lhe da avontade nao se concentra para esperar e faz de seguida tenho uma filha de 2 anos e gostaria que o pai a acompanhace vou lutar para o ver bem para ele poder ver a filha crecer ke me diz acha com este estado e posiveel uma recoperacao mental ou so fisica com k armas posso combater este assasino ou tenho k me resigenar e aceitar o k disem os medicos obrigado por a sua bondade em ajudar os outros ke deus lhe de o paraiso e as melhoras de seu pai ps tambem eu tenho um tumor mas o meu nao e tao mau pois e um tumor hormonal na hipofise bem haja paula m

 
At 10:03, Blogger Miguel Francisco said...

Oi Paula M.

Muitos casos de tumores cerebrais começam com diagnóstico errado. Isto se deve ao fato de que a lesão provocada pelo tumor pode afetar áreas que controlam outros órgãos e provocar sintomas de outras doenças. Meu pai no dia do diagnóstico apresentava sintomas de uma infecção intestinal.
Não entendi a razão pela qual o seu marido não quis fazer a químio. Acho que foi um erro e que deve ser corrigido.
Conheço o caso de uma outra pessoa em Portugal que também se submeteu à homeopatia sem resultados, mesmo tendo tomado vários e caros remédios.
A recidiva é uma coisa comum em glioblastomas e, na maioria das vezes, se o paciente tem condições, o procedimento requer retirada cirúrgica do tumor.
O tratamento que seu marido esta recebendo atualmente, parece-me o correto, embora, como em nosso caso, talvez pudesse ser complementado. As seqüelas são inevitáveis e talvez não sejam permanentes.
Como você pode ter observado no blog, minha opinião é simples: nunca desistir.

Um abraço e força.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Health 
Blog Top Sites Blog Directory