5.7.06

Para fortalecer o sistema imunológico.

É pouco tempo para afirmar a validade permanente da dica que vou apresentar, mas vamos lá. Certamente não fará mal.

Um problema típico de quem está fazendo quimioterapia é a queda da imunidade. Isto tem duas conseqüências: (1) Aumentam as chances de infecções de todas as espécies e (2) O sistema imunológico, que pode ser um importante aliado no combate às células tumorais, por estar debilitado, não consegue fazer seu papel.

Aparentemente, o déficit imunológico decorre de duas coisas: da ação do próprio quimioterápico, que afeta a produção das células do sistema de defesa do organismo; e da má nutrição que é conseqüência da anorexia (falta de apetite) e de eventuais náuseas e vômitos, também provocados pelo quimioterápico.

Quanto ao primeiro aspecto, ou seja, o ataque do quimioterápico ao sistema de defesa, ainda não descobri nada confiável para fazer. Mas, relativamente ao segundo problema, o da má nutrição, um procedimento que adotamos no último mês parece ter dado resultados bons. Nós introduzimos novos suplementos alimentares e o leucograma (exame de sangue que avalia o sistema imunológico) de meu pai apresentou o melhor resultado de todo o período de quimioterapia. Por isto, desta vez, não foi necessário um adiamento do novo ciclo.

Os suplementos que estamos usando são vendidos livremente nas farmácias e drogarias. A intenção ao introduzí-los foi é garantir um fornecimento mínimo de nutrientes, que podem ficar em falta devido aos problemas mencionados. São eles:
  • Targifor C – medicamento à base de aspartato de arginina e ácido ascórbico (vitamina C), é usado no tratamento de fadiga, podendo ser empregado como terapêutica auxiliar no tratamento de processos infecciosos;
  • Forten - é uma associação dos principais aminoácidos necessários ao organismo e hidroxocobalamina (uma vitamina B12), visa fornecer as substâncias biológicas necessárias para a normalização do metabolismo, principalmente do SNC e do sistema muscular;
  • Centrum Silver - um suplemento multivitamínico para as pessoas acima de 50 anos;

A forma de Administração:
Um dia após o término do período de quimioterapia, iniciamos o Targifor C, um ao dia, durante sete dias. Após estes sete dias, é administrado um flaconete de Forten por dia, também por sete dias. Durante todo o período, exceto o de quimioterapia, um comprimido de Centrum Silver dia sim, dia não.

Devo admitir os créditos desta idéia à pessoa que me passou a “receita”. Foi a Doutora Christiane Silva (Mestre e Doutora em Fisiologia Humana) que sugeriu a utilização. Ela não é médica, portanto, não prescreveu. Ela simplesmente contou-me que utilizava este procedimento no tratamento de sua mãe, que teve câncer de mama. Felizmente para mim, tudo indica que ela estava certa.

10 Comments:

At 21:22, Anonymous Juliana said...

Oi Miguel...
Tbem estamos reforçando a alimentaçao do D. com verduras que contenham ferro, e demais vitaminas diariamente...tbem preparamos vitaminas de frutas, acrescisdade de SUSTAGEM , aveia e mel.
Alem de suplementos de vitaminas e mineirais.
Estes ultimos, ja faziamos o uso desde a cirurgia.
Antes e depois da cirurgia D. fez uso do Decadron, indicado pelos medicos para diminuir inchaços e edemas cerebrais que podem contribuir para evoluçao do tumor.
Devido dos corticoides, ele teve foliculite, e por isso consultamos um dermatologista. Este, médico confiavel, nos disse que o decadron acaba com as vitaminas e mineirais do corpo e "sem querer" atrapalha o sistema imunologico. Um dos sintomas é a ocorrencia frequente de caimbras.Por isso é fundamental fazer essa reposiçao de vitaminas.
Ainda é cedo para dizermos sobre efeitos colaterais do temodal no D. pois comcluimos o 1 ciclo, mais por enquanto ele nao apresentou nada.Come normalmente, ate mais agora... ,sono, vigilia, leucograma tudo continua como sempre, graças a Deus!

Abraços a todos!
Força!!!

 
At 13:28, Blogger Miguel Francisco said...

Oi Juliana

A alimentação é crucial no tratamento. O tumor consome muitos nutrientes, por isto é importante a reposição balanceada. No blog falo de várias vitaminas e suplementos que são úteis para essa função. Ao invés de Sustagem sugiro que vocês usem o Ensure, produto especialmente elaborado para suplementação de paciente com câncer.

Atenção: Não são todas as vitaminas e minerais que podem ser usados em altas dosagens e indiscriminadamente. Alguns podem até favorecer a proliferação do tumor ou ter efeitos tóxicos. É preciso pesquisar as possíveis interações e efeitos colaterais.

O decadron realmente debilita o sistema imunológico, assim deve ser usado com muita parcimônia.

O Temodal raramente apresenta efeitos colaterais nos primeiros ciclos da quimioterapia. É mais comum que eles ocorram após o terceiro ciclo. E é importante fazer hemograma e leucograma de controle mensalmente. Seria bom você estudar bem a bula americana do remédio. Ela menciona vários efeitos colaterais não mencionados na bula nacional.

Um Abraço e Força.

 
At 11:56, Anonymous Marcia said...

Gostaria de iniciar agadecendo pelas informações que vc presta em seu blog.

A um mês mais ou menos minha cunhada foi diagnosticada com o tumor glioblastoma, e ficamos sem saber o que realmente significava essa doença, então procurei entrar na internet para poder esclarecer minha dúvidas e felismente encontrie seu blog.

Minha cunhada não começou a fazer nenhum tratamento ainda, está fazendo os primeiros exames para saber qual o tratamento mais indicado em seu caso. O que me preocupa é que ela está muito fraca, não consegue caminhar, pois não tem forças. Assim, estou buscando orientãções para melhor poder ajuda-la.

Gostaria de deixar meu E-MAIL, não sei se vc costuma fazer isso, mas se puder me mandar informações sobre como proceder durante o tratamento de Radio, e quais os tratamentos aleatórios que podemos seguir como medicamentos, alimentação, etc.

Desde já agradeço, e saiba que mesmo sem conheçe-lo o admiro por sua força e perseverança!

Abraço, fique com Deus.

Marcia/ e-mail ma.mendes@ibest.com.br

 
At 15:26, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Márcia,

Agradeço por você compartilhar conosco a história em sua família e por elogiar o blog.

Por favor, não fique muito otimista com os meus relatos. Eles podem dar a impressão de que é possível lidar com razoável facilidade com este tumor cerebral, o que não é verdadeiro. O meu real pensamento é que, até que se prove em contrário, tudo deve ser feito e todas as cautelas devem ser tomadas. O glioblastoma é um adversário a ser respeitado, extremamente respeitado.

>>>Minha cunhada não começou a fazer nenhum tratamento ainda, está fazendo os primeiros exames para saber qual o tratamento mais indicado em seu caso. O que me preocupa é que ela está muito fraca, não consegue caminhar, pois não tem forças. Assim, estou buscando orientações para melhor poder ajuda-la.>>> É muito difícil opinar sobre isto sem ter mais informações. A fraqueza de sua cunhada pode ser um efeito direto da ação do tumor em áreas do cérebro que possam estar associadas à “força”.

>>>Gostaria de deixar meu E-MAIL, não sei se vc costuma fazer isso, mas se puder me mandar informações sobre como proceder durante o tratamento de Radio, e quais os tratamentos aleatórios que podemos seguir como medicamentos, alimentação, etc.>>>As melhores informações que eu poderia lhe enviar são as que já constam do blog. Em o “Dia-a-Dia do Tratamento” eu tento relatar quase tudo o que fizemos e as conseqüências destes atos. Também sobre os tratamentos alternativos e complementares, está tudo detalhado nos vários artigos, com a racionalidade demonstrada e as funções esperadas.

Um Abraço e Força!

 
At 22:38, Anonymous Anônimo said...

estou com minha mãe tbm muito doente , ela esta internada no inca
com um tumor cerebral , que nunca deu sinal de sua existencia , que so foi diagnosticado apos uma paralização facial , com ajuda de uma tomografia.por favor peso uma ajuda de como agir, ela comoçou a fazer radio mais os feteitos colaterais estão sendo pessimo , ela ja dorme a 3 dias.
deste já agradeço a força.
valpebrandao@yahoo.com.br

 
At 15:29, Anonymous Anônimo said...

Caros amigos, nem sei como cheguei ao blog de vcs, mas se puder gostaria de dar um acontribuição pois o que tenho estudado muito e visto ótimos resultados no fortalecimento do sistema imunológico é um a técnica chamada autohemoterapia, que consiste em retira o sangue da prórpia pessoa e aplicá-lo no músculo. Esse procedimento, realizado de 7 em 7 dias, aumenta a quantidade de macrófagos (células de defesa) np sangue de 5% para 22% e se mostrou altamente benéfica para pacientes em tratamento quimioterápico ou radioterápico entre outras funções...
um grande abraço a todos. Ana.

 
At 22:24, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Ana

Agradeço a sua contribuição ao blog. Eu já havia ouvido falar sobre a auto-hemoterapia. Inclusive cheguei a estudar um pouco o assunto. Conclui que esta é uma prática médica antiga e eficaz em algumas circunstâncias. Não sei porque razão ela foi abandonada. Havia até um grande infectologista chamado Ricardo Veronesi, que defendia a sua utilização. Também não sei se teria utilidade no caso específico de tumores cerebrais, no combate às células tumorais ou na melhora da imunidade geral, que normalmente é derrubada pela quimioterapia.

Descobri até uma curiosidade. No Matogrosso do Sul os pecuaristas mais antigos usam está técnica com bastante sucesso no tratamento de moléstias infecciosas dos bovinos.

De toda forma, como aqui, na maioria das vezes, tratamos de casos desesperadores qualquer sugestão é válida. Sempre lembrando que o bom senso e a razão devem preceder a ação e que o médico, por mais cético que ele se demonstre, deve ser consultado e monitorar qualquer coisa que seja feita.

 
At 00:32, Anonymous Anônimo said...

Oi Miguel
Minha mãe retirou um tumor cerebral e após um mês de medicação com Hidantal e outros medicamentos, desenvolveu a síndrome de Steve Johnson. Está internada novamente. Você tem alguma informaçõa sobre essa reação, ela não começou a fazer quimioterapia e agora está sem previsão.

 
At 01:38, Blogger Miguel Francisco said...

A quem perguntou sobre Stevens-Johnson

Sei muito pouco sobre o assunto. A síndrome de Stevens-Johnson é uma doença de pele potencialmente mortal que normalmente resulta de uma reação aos medicamentos usados. Na única vez que ouvi falar sobre isto se afirmava que muitos casos estavam relacionados ao uso de um antiinflamatório que já não é mais comercializado no Brasil, o Bextra. Suponho que neste período pós-operatório sua mãe tenha feito largo uso de antiinflamatórios, principalmente de corticóides (decadron), no entanto não sei dizer se esta droga, que é bastante diferente do Bextra, poderia desencadear a síndrome.

 
At 21:33, Anonymous Anônimo said...

Olá,gostaria de deixar o meu comentário sobre a síndrome de Steve Johnson.Há 14 anos atrás tive esta doença, fiquei cerca de 2 meses no hospital entre quarto e UTI.A minha história começa 40 dias antes de chegar ao hospital.Depois de 3 desmaios e muitos exames os médicos diagnosticaram que eu tinha "neurocisticercose"(não sei se isso escreve assim).Daí fomos buscar o melhor especialista em Goiânia,um investimento alto tudo particular (viagem, consulta e ressonância).O médico me receitou Tegretol 400.No dia que tomei o último comprimido já estava passando mal,me levaram á pediatra e ela disse que eu estava com catapora devido ás pequenas lesões que tinha no corpo!Eu tinha febre altíssima que chegava ao delírio, não tinha consciência do que estava acontecendo só sentia meu corpo todo coçando.Várias bolhas começaram a surgir das pequenas lesões, fui para o hospital.
Ninguém sabia o que eu tinha, disseram que era varicela.Na segunda semana quando foram me dar banho eu me vi no espelho...comecei a gritar,já não tinha mais forma, eu não sabia quem estava do outro lado...
As bolhas estouraram,agora o meu corpo tinha somente uma pele preta que saia com muita facilidade e meu corpo grudava no lençol ,já não tinha condições de tomar banho, somente um semanal, para isto eu era cedada(a dor era intensa, eu não conseguia me levantar sequer para ir ao banheiro, usava sonda e fraldas) e levada ao centro cirúrgico.Num dia eu cansei, decidi que queria morrer...No outro dia as enfermeiras me acordaram com o quarto todo enfeitado, cheio de cartazes e flores,decidi retomar.Foram muitas idas e vindas entre quarto e UTI e a última coisa que me lembro é que precisei de um remédio (Albumina Humana),já não tinha os glóbulos de defesa.Mas 14 anos depois de toda esta tristeza,sou uma pessoa normal, sem sequelas aparentes, somente algumas pequenas manchas e muito saudável.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Health 
Blog Top Sites Blog Directory