17.3.06

Glioblastoma Multiforme: uma Revisão da Literatura Científica em Busca de Alternativas de Tratamento

Estou planejando como realizarei a revisão citada no título e publico aqui o que estou pensado fazer para que quem lê este blog, se quiser ou puder, manifeste sua opinião sobre o acerto do método, possíveis correções e sugestões. Qualquer palpite, dúvida ou sugestão é bem-vindo. Se puder, manifeste-se postando um comentário ou mandando um e-mail para blogante(arroba)yahoo.com.br. (substitua o (arroba) por @.)
.
.
Justificativa do Esforço
Após vários meses convivendo com a doença de meu pai e tendo pesquisado e lido inúmeros textos sobre glioblastoma e outros tumores cerebrais, cheguei a algumas conclusões que me parecem justificativas suficientes para uma revisão sistemática da bibliografia médica e científica sobre o assunto. No meu entender, o que evidencia o valor deste grande esforço são as seguintes razões:
  • O glioblastoma multiforme é uma doença poderosa e altamente letal, mesmo quando tratada com os recursos irrestritamente aceitos na medicina;
  • Mesmo tendo sido extirpado cirurgicamente e tratado com quimioterapia e radioterapia, probabilidade de recorrência do tumor é enorme;
  • Os tratamentos reconhecidos e aceitos pela comunidade médica são de eficácia muito limitada. Para se ter idéia, o uso de temodal, considerado o melhor medicamento, aumenta a expectativa de vida em apenas algumas semanas;
  • Existe um grande número de substâncias que apresentam evidências de eficácia, mas, porque não apresentam atratividade financeira, são negligenciadas por grande parte da comunidade científica e pela quase totalidade da indústria farmacêutica;
  • O exemplo verídico retratado no filme “O Óleo de Lorenzo”. Nele, um médico identifica em um garoto uma doença rara, dando-lhe no máximo mais 2 anos de vida. Sem se conformar com esta situação, seus pais passam então a pesquisar sobre a doença, a fim de encontrar algo que possa ajudar o filho. Depois de inúmeras dificuldades e muita pesquisa, os pais conseguem achar um tratamento e, em 2005, Lorenzo, com 27 anos, ainda está vivo, apesar de ter muitas limitações.
A Base de Partida:
Existem provavelmente centenas de milhares de substâncias com potencial anticancerígeno. Por este motivo, começar a busca aleatoriamente seria algo improdutivo, se não insano. Resolvi me aproveitar do conhecimento previamente acumulado por uma vítima de Glioblastoma Multiforme de Grau 4. Essa pessoa se chama Bem A. Williams e foi diagnosticado em 1995, está vivo e saudável. Ele publica anualmente um resumo de seus estudos e conclusões sob o título de “Treatment Options For Glioblastomas and Other Gliomas”. A versão que possuo é datada de 1 de agosto de 2005 e faz menção a muitas substâncias. São elas que serão estudadas.

As Fontes de Informações:
Não tenho acesso a publicações científicas em formato impresso, muito menos a uma biblioteca que fosse suficientemente ampla e atualizada para permitir a realização de uma revisão como a que pretendo fazer. Resta-me como única alternativa usar o que existe disponível na internet, que certamente não é pouco. Para ter uma noção, se pesquisarmos com o Google a palavra temozolomide, que é o nome em inglês do princípio ativo do medicamento Temodal (ou Temodar), o número de resultados possíveis apresentado é 316.000, por certo, mais do que suficiente para saber quase tudo o que se conhece sobre o assunto.

Uma segunda fonte de informação que pretendo usar, mais precisa, delimitada e confiável, é o PubMed, um serviço da Biblioteca Médica Nacional (National Library of Medicine) e do Instituto de Saúde Nacional (National Institute of Health), ambos americanos. Este servico contém milhões de artigos científicos correlacionados à medicina e à saúde.

Por razões quase óbvias, toda a pesquisa deve ser feita em inglês. Não só pelo PubMed estar nesta língua, como também por que esta é a língua predominante na internet.

O Método de Pesquisa
Minha idéia é fazer o trabalho em duas etapas, uma meramente numérica e outra mais analítica e qualitativa. Antes de começar o trabalho de pesquisa das qualidades terapêutica, verificarei se cada um dos agentes terapêuticos a terem a literatura científica revisada é disponível no Brasil ou se é possível importá-lo, pois nada adiantaria concluir que um determinado agente é muito útil se ele é inacessível.

As duas etapas:

1.Numérica
  • Aqui levantarei: (1)-A freqüência em que cada substância aparece no Google; (2)-A freqüência em que ela aparece na mesma página com as palavras “tumor” ou “câncer”; (3)-A freqüência em que ela aparece na mesma página com as palavras “glioma” ou “glioblastoma” ou “astrocitoma”; (4), (5) e (6)- As mesmas freqüência de 1, 2 e 3, só que exclusivamente nas paginas do PubMed. Analisando esses dados numéricos espero conseguir alguma medida de relevância para cada substância, a partir da qual definirei a ordem de prioridade na qual deverá ser realizada a segunda etapa.
2. Qualitativa
  • Para cada uma das substâncias, usando o PubMed e outros sites claramente científicos: (1) Procurar relatos de estudos laboratoriais (com células e animais) e experiências com humanos; (2) Avaliar os resultados desses estudos e experiências sob quantos aspectos for possível; (3) Identificar os mecanismos de ação, se possível; (4) Identificar os riscos potenciais, efeitos adversos e/ou colaterais e possíveis interações e sinergias.

As Substâncias
O último relato de Bem A. Williams inclui 44 substâncias potencialmente benéficas no tratamento de Gliomas. Abaixo apresento os nomes tal como os extraí do texto original. Alguns são princípios ativos, outros são nomes comerciais das substâncias e algumas têm até mais do que dois nomes. Em um post posterior, quando já tiver verificado a disponibilidade destes produtos no Brasil, postarei uma nova relação contendo os princípios ativos e os nomes comerciais, tanto em inglês como em português.

A relação das substâncias:
  • Accutane, Alfacalcidol, Avastin, Berberine, Boswelli Acid, Broccoli Sprouts, Bromelain, Cannabis, Carboplatin, Celebrex (Celebra), Chloroquine, Clhorimipramine, Cpt-11, Curcumin, Disulduran (Ou Antabuse), Ellagic Acid, Erbitux, Etoposide, Fish Oil (Epa E Dha), Gamma-Linolenic Acid (Gla), Genistein, Gleevec (Ou Sti-571 Ou Imatanib), Glitazone, Green Tea (Chá Verde), Iressa, Irinotecan, Lycopeno, Marinastat, Melatonin, Mitoxantrone, Nimodipine, Polysaccharide Krestin (Ou Psk), Quercetin, Rapamycin, Resveratrol, Selenium, Silibinin, Simvastatin, Tagament (Ou Cimetidine), Tamoxifen, Tarceva, Thalidomide, Topetecan, Vitamin D.

34 Comments:

At 20:44, Anonymous Anônimo said...

E.M.G,
Muito obrigado por ter feito este site, esta sendo muito útil para mim, como já contei no site, minha esposa G. de 29 anos teve um Tumor recidivado de grau III, o primeiro sintoma apareceu em 98 quando ainda éramos namorados, teve um desmaio em casa e rápidamente levei-a ao pronto socorro de minha cidade onde morava , antes ela sofria de profunda dores de cabeça e todos os médicos daqui diziam que era só enchaqueca ( Médicos ou Chutadores ?), O médico de outra cidade disse para eu procurar um Neurologista e pedir uma Tomografia, neste exame apareceu a mancha cinzenta no lobo frontal esquerdo, fizemos um RM e depois uma biópsia, nesta biopsia o laudo foi dado como Gliobastoma, na semana seguinte ela já foi operada e o Tumor foi totalmente ressecado, depois da analise da tumor foi constatado como Astrocitoma Grau II, fizemos 45 sessões de radioterapia e acompanhamento de 6 em 6 meses com RM, depois de 3 anos de 1 em 1 ano, até o meio do ano passado ela estava super bem, a última RM foi feita em julho do ano passado e estava normal, no começo deste ano comecei achar ela meio apatica, não querendo conversar muito, levei-a no Neurologista e este pediu uma nova RM, ai veio a terrivel noticia, o tumor havia voltado, e analisando a RM junto com outro médicos me deram a seguinte noticia: " O tumor voltou e esta muito próximo de partes importantes do cérebro, acho que cirurgia não cabe muito nesta situação e os tratamentos são ineficazes", perguntei a eles então se não havia mais jeito e qual seria a situação, eles me disseram que não havia nada a fazer e esperar, pois este tipo de tumor geralmente pode matá-la em 3 a 6 meses.

Fomos até SP e ela foi operada no Hospital São Luiz, o tumor não pode ser retirado totalmente, mas boa parte dele, pois utilizaram de uma técnica chamada de Neuronavegador.
O Neurocirurgião me indicou uma radioterapia localizada ( Gamma Knife ), procurei os médicos para a radioterapia, mas devido ao tumor não ter uma forma especifica, não haveria condição de realizar a radiocirurgia. De volta a nossa cidade, procurei um oncologista que concordou com o especialista em radioterapia de SP e indicou o uso do TEMODAL, o primeiro ciclo com 250mg já terminou e no próximo dia 7 iniciaremos com 350mg, perguntei a ele por quanto tempo teriamos que usar TEMODAL e a resposta foi " Até 2 anos ou até o Tumor começar a evoluir novamente"., vejo na internet que normalmente é ulizado somente 6 ciclos, estou com dúvidas.

Depois que comecei a ler seus relatos, comecei a me sentir mais confiante, talvéz não seja possível a cura de minha esposa com estes medicamentos alternativos, mas se possível controlá-lo, pois quem sabe daqui a 5 anos não exista a cura definitiva.

Por favor tenho algums dúvidas em relação aos complementos:

Selenio, Vitamina D e Celebra: Você interrompe durante o TEMODAL ?
( Vitamina D e Celebra ainda vou conversar com nosso médico antes de administra, a Melatonia, o Selenio e o Ecopeno já iniciamos)

E.M.G, estou usando estes complementos por minha inteira responsabilidade.

Muitissimo Obrigado,
de seu novo Amigo.

M.T.I.
MG

 
At 23:15, Blogger Miguel Francisco said...

Olá M.,

Fico muito satisfeito ao saber que o Blog o está ajudando. Quando decidi por fazê-lo foi justamente porque havia encontrado poucas informações sobre a doença em português e muitas delas eram excessivamente técnicas para o leitor comum. Por sorte, tenho formação científica, embora não trabalhe mais na área, e leio razoavelmente bem o inglês. Já havia algum tempo que eu dedicava parte do meu tempo ao trabalho voluntário e percebi que poderia fazer as duas coisas com uma só atividade, isto é, procurar alternativas de tratamento para meu pai e ajudar outras pessoas que estivessem passando por problemas semelhantes. Minha idéia foi traduzir informações científicas em inglês para o português e numa linguagem que as pessoas possam entender. Espero estar conseguindo fazer isso.

“ O tumor voltou e esta muito próximo de partes importantes do cérebro, acho que cirurgia não cabe muito nesta situação e os tratamentos são ineficazes", perguntei a eles então se não havia mais jeito e qual seria a situação, eles me disseram que não havia nada a fazer e esperar, pois este tipo de tumor geralmente pode matá-la em 3 a 6 meses.”

A sua frase, transcrita acima, representa muito bem o que senti quando do diagnóstico de meu pai. -Como não há tratamento?, eu me perguntava. Fui logo tomado por uma insatisfação com o comodismo dos médicos que afirmavam que o diagnóstico estava fechado e meu pai iria morrer em breve. Pensei comigo, quantas e quantas doenças já foram incuráveis até que alguém descobriu como curá-las? Decidi que não iria “me entregar”, aceitando o consenso médico. Por isso, procuro eu mesmo a cura de meu pai. Devo isto a ele.

Quanto as dúvidas que você manifestou no e-mail, vamos lá:

>>Sua Pergunta: “De volta a Uberaba, procurei um oncologista que concordou com o especialista em radioterapia de SP e indicou o uso do TEMODAL, o primeiro ciclo com 250mg já terminou e no próximo dia 7 iniciaremos com 350mg, perguntei a ele por quanto tempo teriamos que usar TEMODAL e a resposta foi " Até 2 anos ou até o Tumor começar a evoluir novamente"., vejo na internet que normalmente é ulizado somente 6 ciclos, estou com dúvidas.”

>>Minha resposta: achei altas as dosagens de temodal, meu pai tomou 120mg durante a rádio e agora toma 320 mg. A dose de Temodal deve ser calculada de acordo com a superfície corporal, multiplicando-se a altura da pessoa por ela mesma. Meu pai tem 1, 67 m . Qual é a altura da sua esposa? Não vi nenhum protocolo de tratamento com temodal que falasse do uso por 2 anos seguidos, mesmo porque as células tumorais são muito expertas e aprendem a se defender, gerando o que se chama de quimioresistência. Acho que você deve esclarecer este ponto.


>>Sua Pergunta: Selênio, Vitamina D e Celebra: Você interrompe durante o TEMODAL ?
>>Minha resposta: Não, são dados continuamente, mesmo porque alguns são potencializadores da quimioterapia.

>>Sua Pergunta: (Vitamina D e Celebra ainda vou conversar com nosso médico antes de administra, a Melatonina, o Selênio e o licopeno já iniciamos)
>>Minha resposta: O mais preocupante deste suplementos e o Alfacalcidol, a vitamina d. Sua esposa deve estar fazendo exames de sangue rotineiramente, então peça ao médico que inclua o que verifica os níveis da cálcio sanguíneo. Se houver alterações para alem da faixa de normalidade deste íon, o uso deve ser suspenso. Você deve falar para seu médico de todos os suplementos, é importante para que ele oriente adequadamente o tratamento. Duvido um pouco que ele vá se opor ao uso de qualquer uma destas substâncias. Acho mesmo é que vá dar pouca importância.


Um Abraço Fraternal e Força!

E.M.G.

 
At 11:22, Anonymous Anônimo said...

(recebido por e-mail)
Caro EMG

Tenho acompanhado seu blog e concordo plenamente com a forma como você tem lidado com a doença de seu pai. Tenho um cunhado que em outubro teve o diagnóstico de Glioblastoma e diante da fatalidade apresentada pelos médicos passei a buscar soluções alternativas. Entre vários tratamentos alternativos um me chamou a atenção "Alcool Perílico". Gostaria que tentasse conhecer buscando no Pubmed pelo nome do médico que esta fazendo esse tratamento (Clóvis Orlando da Fonseca). Tentei que meu cunhado fizesse esse tratamento mas os médicos que cuidam dele não acreditaram na eficácia ( sem conhecer e sem interesse em conhecer ) e meu cunhado fez apenas 7 ou 8 aplicações e interrompeu o tratamento.
Na verdade sou totalmente leiga nesses assuntos mas alguma coisa me fez acreditar que talvez esse tratamento pudesse ajudar o meu cunhado. Como percebi que você pesquisa sobre tudo relacionado ao Glioblastoma achei que você gostaria de conhecer esse tratamento.

Um abraço
Maria

 
At 11:24, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Maria R.

Obrigado por escrever, por dar uma sugestão e por apoiar os meus esforços.

Na realidade, eu já havia lido algo sobre o Álcool Perílico, mas acabei esquecendo em meio a tantas substâncias com potencial utilidade.

No PubMed existem três referências ao Dr. Clóvis Orlando da Fonseca, isto é sinal de que de fato ele é um pesquisador e publica suas conclusões. As três referências dizem respeito ao “perillyl acohol” (álcool perílico em inglês) e seu uso no tratamento de gliomas.

Vou incluir o perillyl alcohol no rol das substâncias a serem estudadas.

Um fraternal abraço.

E.M.G.

 
At 19:32, Anonymous Anônimo said...

E.M.G.
Boa Tarde,
Fui até nosso médico hoje para ele receitar o novo ciclo de TEMODAL que iniciará em 07/04, conversei sobre os suplementos e como você disse, ele realmente deu pouca importancia.
Sobre a vitamina D, perguntei a ele sobre dar o ALFAD e ele disse que não precisava pois nosso corpo já produz e bla, bla, bla, bla...., Depois perguntei sobre o CELEBRA e ele disse que realmente é um potente antiogenico, mas dificilmente vai chegar até o Cérebro e que não adiantava minha esposa tomar ( Vou dar assim mesmo pois o "dificilmente" dele pode ser a chave). Pesquizei na Internet sobre a vitamina D, parece que o corpo produz mais quando tomamos banho de Sol pela manhã, 10 a 20 minutos por dia é suficiente ( De todos complementos estou mais com medo da Vitamina D).

Abraços e graças a Deus por mais um dia de vida.

Marcio

 
At 19:02, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Márcio,

Desculpe-me por demorar a responder.

O desprezo do médico pelos suplementos é típico e representa um misto de desinteresse, ignorância, desinformação e preconceito. Sei que esta afirmação é pesada e que não se aplica a todos os médicos (felizmente), por isso, para prová-la, vou reproduzir aqui todas as pesquisas que justificam o uso destes suplementos, acompanhadas dos links onde elas podem ser encontradas originalmente.

A maioria destas pesquisas está em inglês e eu não vou traduzir, porque seria muito trabalhoso. Além do mais, quem tem um tumor cerebral, certamente, deve achar e achará com facilidade alguém disposto a traduzir uns poucos e pequenos textos em inglês.

1. Sobre o Análogo de Vitamina D chamado Alfacalcidol (ou Alfad): A afirmação do médico é verdadeira se considerarmos um organismo saudável. Realmente, o corpo humano produz a sua própria Vitamina D à partir da exposição à luz solar. O que o médico não considerou é o fato de que as pesquisas afirmam que, usando uma quantidade muito mais alta do que a produzida normalmente pelo organismo, a Vitamina D se torna altamente citotóxica para células tumorais. A preferência pelo Alfacalcidol de deve ao fato de ser ele um análogo com pequeno risco de provocar hipercalcemia, a qual, de toda forma, deve ser monitorada por exames de sangue periódicos.

As pesquisas que apresentam indícios do que foi afirmado são as seguintes.

a) Van den Bemd, G. J., & Chang, G. T. Vitamin D and Vitamin D analogues in cancer treatment. Current Drug Targets, 2002, Vol. 3, 85-94.
Esta pesquisa está disponível no site Ingenta, que também tem uma ótima coleção de artigos científicos, no endereço: http://www.ingentaconnect.com/content/ben/cdt/2002/00000003/00000001/art00006?token=00591bdc4c169e121de726e2d2954496f642f466f256720297d7625737b2a4a755f406338354021954e89a302

Vou transcrever somente o abstract, mas no site é possível baixar uma versão completa em PDF, que contém uma revisão das pesquisas sobre o uso de Vitamina d no tratamento de câncer.

Abstract:

The secosteroid hormone 1,25-dihydroxyvitamin D3 (1,25-(OH)2D3) is a key player in the regulation of bone mineralization and calcium homeostasis. In addition, 1,25-(OH)2D3 has antiproliferative and prodifferentiation effects on various cells in vitro and in vivo. The growth-inhibitory properties of 1,25-(OH)2D3 could be harnessed in the treatment of cancer. However, its use as an anti-cancer drug is limited because of the calcemic effects of pharmacological doses. In an attempt to dissociate the antiproliferative and calcemic effects, numerous vitamin D3 analogs were developed. The mechanisms by which 1,25-(OH)2D3 and 1,25-(OH)2D3 analogs exert their growth-inhibitory effects are not clear but include effects on cell differentiation, apoptosis, cell cycle regulation, metastases, and angiogenesis. In the current review aspects involved in the tumor suppressive activity of 1,25-(OH)2D3 and 1,25-(OH)2D3 analogs will be addressed. The use of vitamin D3 compounds, alone or in combination with other drugs, in cancer treatment and the potential drawbacks will also be discussed.

Keywords: Vitamin D Analogs; 1,25-dihydroxyvitamin; chemotherape utic agents; cyclopropylvitamin; 22-oxo-1,25-dihydroxyvitamin; 20-epi-1,25-dihydroxyvitamin; 1,25-dihydroxy-16,23Z-diene
Language: English
Document Type: Review article


b)Trouillas, P, et al. Redifferentiation therapy in brain tumors: long-lasting complete regression of glioblastomas and an anaplastic astrocytoma under long-term 1-alpha-hydroxycholecalciferol. Journal of Neuro-oncology, 51, 57-66
Esta Pesquisa demonstra a regressão em glioblastomas e astrocitomas anaplásicos pelo uso de alfacalcidol (nome químico: 1-alpha-hydroxycholecalciferol).

Neurology service, H pital Neurologique, Lyon, France. paul.trouillas@chu-lyon.fr

PURPOSE: Classical and new therapies in anaplastic astrocytomas and glioblastomas do not yield sufficient results. Agents able to redifferentiate neoplastic cells in vitro are known. We proposed alfacalcidol, a vitamin D analog able to bind to nuclear receptors regulating mitotic activity, in the treatment of malignant gliomas. PATIENTS AND METHODS: Patients with glioblastomas and anaplastic astrocytomas were enrolled in a phase II trial involving surgery or biopsy, radiotherapy (64 Gy), chemotherapy with VM26-CCNU or fotemustine, and alfacalcidol at the daily dose of 0.04 microg/kg. MRI took place every 6 months. RESULTS: Eleven patients were included and completed the study. The series involved 10 glioblastomas and 1 anaplastic astrocytoma. Three patients out of 11 patients (27%), 2 glioblastomas and 1 astrocytoma grade III, exhibited a particular response, consisting in the progressive regression of the radiological lesion, with a decrease of the gadolinium-enhanced area. Simultaneously, the patients showed a complete clinical remission, observed respectively for 7, 5 and 4 years. In the series of 10 patients with glioblastomas, 2 cases showed this response; after 4 years, 2 of 10 patients with glioblastomas (20%) were alive; the median survival time is 21 months. Normal or subnormal calcemia was observed, at the dose proposed, so that no interruption of the drug was necessary. CONCLUSIONS: Alfacalcidol, an in vitro agent of redifferentiation, is safe and seems able to induce in some patients, in synergy with classical surgery-radiotherapy-chemotherapy treatments, a particular progressive and durable regression of the tumor. The responders might represent about 20% of malignant gliomas.

O link de origem: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=Abstract&list_uids=11349882&itool=iconabstr&query_hl=7&itool=pubmed_docsum


As três abaixo vão apenas com os links e também demonstram a potencialidade do uso da vitamina D e seus análogos.
c) Bollag, W. Experimental basis of cancer combination chemotherapy with retinoids, cytokines, 1, 25-hydroxyvitamin D3, and analogs. Journal of Cellular Chemistry, 1994, Vol. 56, 427-435
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=PubMed&list_uids=7890801&dopt=Citation


d) Bernardi, R. J., et al. Antiproliferative effects of 1alpha,25-dihydroxyvitamin D(3) and vitamin D analogs on tumor-derived endothelial cells. Endocrinology, 2002, Vol. 143, 2508-2514
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=Abstract&list_uids=12072382&itool=iconfft&query_hl=19&itool=pubmed_docsum



e) Danilenko, M., et al. Carnosic acid potentiates the antioxidant and prodifferentiation effects of 1 alpha,25-dihydroxyvitamin D3 in leukemia cells but does not promote elevation of basal levels of intracellular calcium. Cancer Research, 2003, Vol. 63, 1325-1332
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=Abstract&list_uids=12649194&itool=iconfft&query_hl=21&itool=pubmed_docsum




2. Sobre o Celebra: Apenas vou transcrever parte do material preparado por Ben Willians e a relação de pesquisas que o fundamentam, que são identificadas por números entre parenteses.

Celebrex (and other NSAIDs)
Carcinogenesis of several types involves an inflammatory process. When antiinflammatorydrugs such as aspirin or ibuprofen are taken on a regular basis the incidenceof colon cancer is reduced as much as 50%. This astonishing effectiveness has motivatedinvestigation of the mechanisms of these benefits. One component of the inflammatoryprocess is angiogenesis, which is now believed to be a critical component of cancergrowth. COX-2 enzymes are believed to play an important role in inflammation, so thatCOX-2 inhibitors should reduce angiogenesis and inhibit tumor growth (102, 103). Manynonsteroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs) are known to be COX-2 inhibitors, butmost (e.g., ibuprofen) also inhibit COX-1 enzymes, which are necessary for healthymaintenance of the stomach lining, which is why many users of NSAIDs eventuallydevelop intolerance to them. Thus, much recent attention has been given to the newCOX-2 inhibitors such as Celebrex and Vioxx, which were developed to avoid COX-1inhibition for the purposes of arthritis treatment. Because inhibition of angiogenesis isone of the major new approaches to the treatment of cancer (see discussion in a latersection) many oncologists have begun adding Celebrex or Vioxx to their regulartreatment protocols, based on laboratory findings that Cox-2 inhibitors inhibit tumorgrowth. In the recent meetings of American Society for Clinical Oncology (ASCO), therewere scores of new clinical trials reported that combined one or another Cox-2 inhibitorwith conventional radiation, chemotherapy, and new targeted treatments. The greatmajority of these were phase 2 clinical trials which had only historical controls with theconventional treatment alone to assess the value of the added Cox-2 inhibitors, but almostall concluded there appeared to be a significant benefit, including two clinical trials usingsuch a combination with glioblastomas.. In one representative study with patients withnon-small cell lung cancer, 16 patients received 800 mg/day of celebrex between roundsof chemotherapy. Four had a complete response to treatment, 12 had partial responses,and 4 had stable disease (104). While these results were from a phase II clinical trialwithout a control group, the outcome was better than the historical norms for comparablepatients.


In a second study, prostate cancer patients with rising PSAs after initial treatmentreceived 400 mg/day of celebrex (105). Of 11 patients followed for 6 months, 2/11 had adecrease in PSA, and 3/11 had stabilization in the PSA rise. The remainder had adecrease in the rate of PSA rise. The authors concluded that celebrex significantly slowedthe progression of prostate cancer, although how long that suppression would continueremains tentative because of the early-stage nature of the clinical trial.


The two clinical trials reported to date that have used celebrex in the treatment of gliomascombined it with temodar (21) or CPT-11 (55) and are described in the section onchemotherapy.


Because of the mild toxicity of NSAIDS, considerable recent research has investigatedthe mechanisms of its clinical benefit. Whereas initial research focused on the antiangiogenicproperties of this class of drugs, several other mechanisms have beenidentified, including the enhancement of various aspects of the immune system, andinhibition of the genes that prevent damaged cells from undergoing apoptosis.(106). Notall NSAIDS are equal in their anti-proliferative effects, as there is some evidence that oneof them, celebrex, is considerably more potent than others in directly inhibiting tumorgrowth by down-regulating the cyclin proteins regulating the different stages of celldivision (107). It is critical to note that many of the mechanisms by which NSAIDS workare strongly involved in the growth of high-grade gliomas, and that the expression of thecyclogenase enzyme that is the target of COX-2 inhibitors correlates strongly with theproliferation rate of glioblastoma tumors and correlates inversely with survival time (108,109).





As pesquisas mencionadas entre parênteses:
102. Jones, M. K. et al. Inhibition of angiogenesis by nonsteroidal anti-inflammatory
drugs: insight into mechanisms and implications for cancer growth and ulcer healing.
Nature Medicine, 1999, Vol. 5, 1418-1423
103. Gately, S. The contributions of cyclooxygenase-2 to tumor angiogenesis. Cancer
Metastasis Review, 2000, 9, 19-27
104. Altorki, N. K., et al. Celecoxib (Celebrex) a cyclooxygenase-2 (COX-2)
inhibitor , may enhance response to preoperative chemotherapy in patients with
resectable non-small cell lung cancer. Proceeding of the American Society of
Clinical Oncology, 2002, Abstract #101
105. Derksen, E., et al. Cox-2 inhibitors in PSA recurrent prostate cancer: A pilot
study. Proceedings of the American Urological Society, 2002, Abstract # 2930
106. Dang, C. T., et al. Potential role of selective Cox-2 inhibitors in cancer
management. Oncology, 2004, 16 (supplement 5) 30-36
107. Kardosh, A., et al. Differential effects of selective COX-2 inhibitors on cell cycle
regulation and proliferation of glioblastoma cell lines. Cancer Biological Ther., 2004,
3, 55-62
108. .New, P. Cyclooxygenase in the treatment of glioma: Its complex role in signal
transduction. Cancer Control, 2004, 11, 152-16
109. Giglo, P., & Levin, V. Cyclogenase-2 inhibitors in glioma therapy. American
Journal of Therapeutics, 2004, 11, 141-143

 
At 19:45, Anonymous Anônimo said...

Comecei a pesquisar o que vem a ser o glioblastoma! Estou assustada. Minha sogra começou a ter dificuldades na fala por meados de abril, mas como passou por aluguns problemas emocionais o neuro que a levamos falou que era depressão. Eu a vi um dia antes dos dias das mães e achei que ela estava bem, em termos, é claro. Nesta semana o médico resolveu dar uma tomo e ela fez na quinta passada. Não ficou legal pois foi sem contraste. No sábado dia 20/05 a vi e fiquei chocada com sua mudança. Resumindo, no domingo a levamos para o hospital, pois não podíamos esperar mais tempo, então foi internada, na 2a. foi feita uma RM e na terça a bomba em nossas cabeças. Hoje ela fez a cirurgia, o médico retirou 60 % do tumor e agora ela foi para a UTI. Estamos meio perdidos, então começei a ler o seu blogg e me deu esperanças, pois aprendendo poderei questionar o tratamento com a sua ajuda também. O médico disse que ela não falará mais e o movimento direito do corpo que já estava afetado piorará. Me dê uma luz para como agir, estamos precisando...
Grata e desculpe-me a extensão do texto.
SRDR 24/05/06

 
At 23:46, Blogger Miguel Francisco said...

Olá SRDR
Desculpe-me a demora para responder.
O diagnóstico de um glioblastoma multiforme (GBM) em um ente querido é sempre um evento devastador para o paciente e para os familiares. Foi desta forma conosco e com muita gente com quem conversei. Portanto não se assuste com os primeiros momentos, que são os piores, as coisas tendem a melhorar.
As previsões feitas pelo médico nem sempre se confirmam, por que eles tendem a traçar o quadro mais negro possível, até como uma forma de proteção.
O GBM é uma doença muito grave e isto não pode ser ignorado. Por outro lado, terapias complementares (aquelas com comprovação de eficácia) podem auxiliar e novos remédios estão sendo testados. Sugiro-lhe que leia o blog inteiro, acho que vai ajudar vocês a pularem etapas nas quais eu penei muito. Procure pelo índice os artigos que podem lhe interessar mais.
É difícil fornecer um Luz em termos gerais, mas se você quiser fazer perguntas específicas e eu souber as respostas, terei prazer em atende-la.

Um abraço e força a todos.

 
At 10:38, Anonymous Anônimo said...

Bom Dia....tenho 20 anos e moro com meus irmãos e meu pai...posso dizer que meu pai é tudo que temos....DEUS NO CEU E MEU PAI NA TERRA...a uns 2 meses mais ou menos ele começou a sentir mtas dores de cabeça e começou a ter dificuldades com a memoria....internamos ele, no mesmo dia fez os exames e deu a mancha na cabeça dele...na mesma semana fez a cirurgia...ele esta com o GLIOBLASTOMA MULTIFORME....não entendo nada sobre o assunto...os medicos deu o TEMODAL para ele, e ele começou a fazer a radioterapia ontem, e ja começou a ter vomitos...estou super assustada, pq estava tudo bem...ele nao sente mais dores...esta tendo uma vida normal....o tratamento dele vai durar 33 dias....queria saber mais sobre este tipo de cancer....estou lendo mtas coisas na net, só que fico meio perdida....desculpe pelo enorme comentario....

Grata

Caroline.

 
At 18:27, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Caroline

Acho que o blog lhe será muito útil. Ele é inteiramente dedicado ao Glioblastoma Multiforme. Através do índice você encontrará artigos que podem ser esclarecedores. Há inclusive a indicação de muitos bons sites sobre os temas relacionados aos tumores cerebrais.

O tratamento de seu pai está seguindo o padrão aceito como o melhor atualmente. Eu só sugeriria o uso de ondansetrona como forma de prevenir náusea e vômitos provocados pela quimioterapia. Este medicamento existe em vários nomes comerciais: Nausedron, Vonau e outros. O Vonau é mais barato e eficiente. Meu pai nunca vomitou. Nós procedemos da seguinte forma: 7 da manhã – café da manhã; 9 horas – vonau; 10:30 temodal. FALE COM O ONCOLOGISTA e pergunte se é possível fazer uso.

Qual a idade de seu pai? Passe mais detalhes do tumor. Onde ele está sendo tratado?

Pode escrever à vontade. Se eu souber, te ajudarei.

Mantenham a calma e tenham força.

Um Abraço.

 
At 08:59, Anonymous Anônimo said...

Bom dia a todos:

Em primeiro lugar, que parabenizar a todos pela iniciativa deste blog. Realmente a falta de informação e despreparado dos médicos que atendem nossos familiares, nos deixa ainda mais desesperados. Meu pai tem GBM desde outubro/2005. Passou por uma cirugia em Janeiro/2006 e continua tomando Hidantal e Decadron. Ainda um pouco debilitado, passa bem. Alimeta-se bem, mas o lado direito está fraco (braço e perna)e com confusão mental. Pelo que entendi na última ressonância. O caso é recidivo. Navegando na Internet, soube do tratamento com AP e estou muito interessado em falar com Dr. Clovis Orlando. Alguém pode me ajudar? Sei que ele atende às 2as feiras, após 13 horas no Hospital Universitário em Niteroi. Mas alguém sabe como posso contatá-lo. Fico em São Paulo e locomoção para meu pai é difícil. Gostaria que ele fosse avaliado e tentassemos o tratmento com AP.

Agradeço a ajuda e que todos tenham muitos progressos com o tratamento de seus familares e amigos queridos.

Um grande abraço,

Fábio

 
At 13:36, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Fábio

Obrigado pelos elogios ao blog.
As similaridades entre o caso de seu pai e do meu são muitas. O meu foi diagnosticado em set/05 e operado em outubro. Também toma anticonvulsivante e corticóides (esta ultima droga, esperamos que seja por pouco tempo). A fraqueza no lado esquerdo também existe, o que me faz supor que o tumor de seu pai estava na porção direita do cérebro. No entanto, ele não apresenta confusão mental.

Felizmente, ainda não tivemos qualquer sinal de recidiva.

Concordo com você quando diz que faltam informações e que elas não são disponibilizadas por quem deveria fazer isto. Acho que muita coisa pode ser feita além do tratamento convencional e sem por em risco o paciente. Não só o AP, que é uma terapia experimental, mas também várias outras drogas e alimentos comuns, se usados precocemente, aumentam bastante as pequenas probabilidades de sucesso que nos são apresentadas.

Muitas pessoas com quem converso têm tentado o tratamento com o AP, com diferentes graus de êxito. Não tenho o telefone do Dr. Clóvis, mas você encontrará quem o forneça com facilidade na comunidade sobre Glioblastoma do Orkut. Lá, muitas pessoas tiveram contatos diretos com ele.

Um Abraço, Força e Persistência!

 
At 19:09, Anonymous Rosemary said...

Minha mãe em setembro de 2005, apareceu com um leve desvio na boca, do lado esquerdo, com dificuldade de falar e até deglutir a saliva. Estava apresentando cefaléia constante, mas ao ir no médico era feito RX de face e era evidenciado sinusite, sendo tratada com analgésicos e antibióticos, mas mantendo a cefaléia constante. No dia 1/10/2005, ela apresentou um quadro gripal muito grande, sendo novamente atendida numa Clínica em São Gonçalo, onde o médico diagnosticou pneumonia, e, afirmou que o desvio na sua boca, deveria ter sido um choque térmico. No dia 3/10/2005 às 01:30, minha irmã me chamou dizendo que minha mãe estava passando mau, quando cheguei no quarto dela, ela apresentava crise convulsiva focal à esquerda sem diminu~ção dos sinais com os procedimentos feitos pelo médico da ambulância. Ao chegar no Hospital foi realizado uma tomografia e uma RM,no qual foi visualizado uma gliose muito pequena. Eles chegaram a conclusão que a minha mãe estava com um quadro esquêmico, sendo tratado como tal. Porém após a sua alta até novembro se 2005, ela teve diariamente crises convulsivas focais, e, foi quando decidimos mudar de médico. Ela foi novamente internada para realizar novos exames. Na nova RM, foi diagnosticado gliose em hemisfério direito de mais ou menos 0,5cm. Foi feita a cirurgia em Janeiro de 2006, com resultado de histopatológico de Glioblastoma Multiforme. Desde então as nossas vidas viraram ao contrário. Ela ficou com sequela cirúrgica com hemiplegia esquerda, dificultando ainda mais o tratamenteo, pois ela era muito ativa e independente, e, agora dependia totalmente de alguém para mobiliza-la. Fez 40 sessões de radioterapia mas quando deveria fazer a quimio, ela ficou muito debilitada, impossibilitando a continuação do tratamento. Ao realizar nova Rm em maio de 2006, a nosso desespero foi ver que um tumor que media 0,5 cm, agora tomava conta de todo hemisfério direito como parte do direito. Hoje nós vivemos cada dia de vida de minha mãe, que segundo um médico do INCA, só teria a sobrevida de 6 meses, e hoje já tem 1 ano e dois meses do início da doença. Hoje ela se alimenta através de Sonda Nasoentérica, não fala mais, mas continua com vida. E é isso que procuramos viver a cada dia, dando o melhor para ela.
Desde já grata pela atenção.
Rose

 
At 04:52, Blogger Miguel Francisco said...

Olá Rose

Agradeço a você por contar-nos o caso de sua mãe, ele me pareceu um exemplo perfeito de como a maioria dos médicos ainda não está preparada para identificar precocemente um problema tão grave como o glioblastoma. É curioso notar que o caso de vocês e o de meu pai ocorreram quase simultaneamente com resultados muito diferentes. Por uma iria muito grande, parece que a sorte de meu pai for ter apresentado logo de início um quadro muito grave, que levou o primeiro médico que o atendeu, um gastroenterologista, a suspeitar de um problema neurológico. Outra "sorte" parece ter sido encontrarmos um grande tumor logo "de cara", o que nos fez correr muito para evitarmos o desastre total que se mostrava iminente. Ou seja resumindo parece que a "nossa sorte" foi ter tido inicialmente um problema muito maior do que o de vocês.

Fico muito triste pelo que está acontecendo aí e espero que vocês sejam iluminados por ELE e consigam encontrar as melhores alternativas possíveis. Recomendo veementemente que vocês não desistam e busquem encontrar opções de tratamento que possam reverter o quadro atual ou no mínimo oferecer uma condição de vida digna a sua mãe. Não especificamente o que recomendar, por que não ainda passei por uma situação semelhante à de vocês. De toda forma, se eu puder ajudar de alguma forma, estarei aqui.

Um Abraço, Força e Fé.

 
At 23:45, Anonymous Anônimo said...

Miguel


Achei excelente seu blog; parece que você se tornou um especialista no assunto, o que demonstra o imenso amor e dedicação que tem com o seu pai. Gostaria de sua ajuda, pois meu pai também foi diagnosticado recentemente e operado no dia 20.12 e a biópsia indicou um GBM grau IV, extremamente agressivo. Não tenho muitas informações, então minhas perguntas podem parecer tolas, mas gostaria de saber se todos os GBM grau IV têm as mesmas características ou se alguns são mais agressivos que outros? Ele tem 64 anos de idade e o tumor era bastante grande, acho que de tamanho superior a 8 cm, localizado no lobo frontal direito. A ressecação foi total, mas como ele teve algumas complicações pós cirúrgicas, como uma hemorragia na área onde foi remivodo o tumor e depois um pneumonia em razão do longo tempo em que ficou entubado, sedado (aproximadamente 12 dias) estou com receio porque ainda não iniciou o tratamento de radioterapia ou quimioterapia. Na verdade ele está internado, usando uma sonda, sem poder se alimentar, com um pouco de secreção no pulmão e bastante fraco, embora lúcido. Será que quando a ressecação é total existe a possibilidade de o tumor voltar em tão pouco espaço de tempo ? Estou desesperada, pois como você amo muito o meu pai, que é tudo para mim e é meu melhor amigo !!! Se puder me ajudar eu agradeceria imensamente. Muito obrigada

F.D

 
At 01:49, Blogger Miguel Francisco said...

Olá F.D.

Vou responder em cima seu comentário.

>>>>...mas gostaria de saber se todos os GBM grau IV têm as mesmas características ou se alguns são mais agressivos que outros?>>>> Minha resposta: Os GBM são quase sempre muito agressivos, no entanto, existem sim variações. Pelo que encontrei na literatura existem diferentes linhagens de células de GBM e algumas são mais agressivas e outras menos.

>>>Ele tem 64 anos de idade e o tumor era bastante grande, acho que de tamanho superior a 8 cm, localizado no lobo frontal direito.>>> De fato é um tumor grande, mas existem casos de sobrevida longa mesmo com tumores deste tamanho.

>>>A ressecção foi total,>>>Mesmo que tenha sido total, há resíduos em nível microscópico às margens da área de ressecção e eles tendem a crescer e formar um novo tumor.

>>>>... estou com receio porque ainda não iniciou o tratamento de radioterapia ou quimioterapia.>>> Pelo que entendi, seu pai foi operado em 20/11. A rádio deverá começar cerca de um mês depois da cirurgia e com ela, simultaneamente, a químio. Portanto, vocês ainda não estão atrasados. De toda forma, um atraso pequeno não fará muita diferença. O importante agora seria conseguir o restabelecimento do quadro geral de saúde dele, principalmente os pulmões, mas sobre isto sei muito pouco.

Um conselho: Você parece uma pessoa bastante esclarecida, pela forma como escreve. Tem todas as condições necessárias para conseguir o máximo de informações e ajudar seu pai. Há neste blog muitos artigos e neles há referencias de onde encontrar mais informações. Não peque pela omissão!

Fique firme e vá a luta. Busque alternativas para seu pai.

Um abraço e força!

M. F.

 
At 13:26, Anonymous Anônimo said...

Oi E.M.G

No desespero, porque também tenho um tio com câncer cerebral que os médicos afirmam que nada mais pode ser feito, mas por ter ouvido sobre a eficiência do Álccol Perílico (AP) minha família ainda tem esperança.
Você já sabe algo mais so o AP? É mesmo eficiente? O paciente que inicia o seu uso sofre mais? Por favor me responda porque estamos contra o tempo e precisamos acreditar em alguma coisa e buscá-la esteja onde estiver.
Obrigada

Adriana

 
At 07:36, Blogger Miguel Francisco said...

Oi Adriana

Peço a gentileza de ler o conteúdo integral do blog. Há um artigo inteiro sobre o Álcool Perílico.

 
At 18:02, Anonymous Flávia said...

Alguem tem alguma informação sobre hereditariedade em GBM?

 
At 21:33, Anonymous Anônimo said...

Olá, muito obrigada por este blog. Estou perdida tb, minha família toda transtornada. Descobrimos o Glioblastoma no meu pai, em dezembro/06, quando foi operado de urgência. Removeram 80% do tumor. Logo depois fez 5 semanas de radio. e quimio. Duas semanas depois, voltou a apresentar dores de cabeça e vômitos. Fizemos nova ressonância, e o tumor havia voltado (recidivou) para o mesmo tamanho de antes da cirurgia.Em pouquíssimo tempo, apenas 2 meses. Estamos todos muito abalados. Li o artigo do Ben Williams, e estou seguindo certos padrões dele. Os médicos são super céticos e frios. Não nos explicam nada direito, como se fôssemos retardados. Poxa, tenho 30 anos! Bom, gostaria de perguntar como dava o Celebra ao seu pai, dosagem por dia, de qtas em qtas horas, por quanto tempo? Obrigada! C.C.

 
At 13:13, Anonymous Anônimo said...

MEU DEUS... E ninguém (classe médica, laboratórios, etc...) não faz nada para resolver isso... Se fosse uma doença de massa, provavelmente tinha 100 laboratórios trabalhando 24 horas/dia para achar uma droga para a cura.
Meu amigo, Roberto, um executivo com grande capacidade, atualmente com 54 anos, teve um desmaio em Agosto/2004...Fez exames, RM e foi detectado o Tumor grau III... Operou em Novembro/04. Após a operação fez radio (localizado) e tomou vários remédios, inclusive o TEMODAL... Voltou as suas atividades normais,porem, em Janeiro/2006 o tumor voltou... Fez nova cirurgia em Fev/2006 e repetiu todos os procedimentos da anterior... Passados quase 01 ano, em Janeiro/2007 o tumor voltou na região direita do cérebro... Nova cirurgia foi programada, porem, ao realizá-la verificou-se que o mesmo encontrava-se na região motora e não pode ser extirpado totalmente...
Atualmente ele encontra-se fazendo radio (localizada), toma um coquetel de remédios, inclusive TEMODAL, DECADRON, etc... A parte esquerda (braço e perna) estão enfraquecidas.
Consultados, os médicos alegam que estão fazendo um tratamento de excelência, porem, não dão muitas esperanças de cura. Isso faz com que tenhamos uma sensação de impotência.
É o que eu tinha a dizer... sendo meu depoimento muito parecido com os demais...

 
At 10:22, Blogger caroline said...

Bom Dia,

Escrevi aqui a algum tempo...Meu pai tem o glioblastoma multiforme, ele tem 53 anos. Já fez a cirurgia no dia 06/05/06, fez radiuo, depois ficou no tratamento com o Temodal. Dia 14/12/06, descobrimos que o tumor voltou, ele começou o tratamento com a quimio no dia 04/01/07...foi tudo bem,ele nao teve reação e ficou bem. Logo depois ele teve uma trombose na perna, com isso não pode mais dirigir, isso acabou com ele,meu pai sempre foi mto independente...depois em março fez a 2 sessão de quimio,e agora em abril ele teve baixa de plaquetas e ficou internado quase 20 dias, no hosp alvorada de moema aqui em sp.
O onco dele disse que ele nao pode mais fazer quimio, por causa que ele esta com a resistencia baixa. Ele voltou para casa e estava bem, assim usando fraldas e nao estava conseguindo andar. No ultimo sabado 28/04, ele teve 2 convulsões e foi para o hosp ficou na UTI, foi para o quarto e dia 30 teve outra crise...agora esta no quarto novamente...estamos em um ponto que só rezando mesmo e pedindo mto a deus.
Oq estou escrevendo aqui é mais um desabafo mesmo, acho que agora ja nao tem mais nada que se possa fazer.

Abraços

Caroline

 
At 01:49, Anonymous Anônimo said...

Boa noite
Eu sou uma pesquisadora que atualmente trabalha no MD Anderson Cancer Center (o melhor hospital de cancer dos EUA). Trabalho exclusivamente com o uso de possiveis agentes terapeuticos para o Glioblastoma Multiforme. Meu comentario aqui tem como objetivo esclarecer a todos os que buscam uma alternativa para o tratamento desta terrivel doenca, a respeito do que tem sido feito ate agora. Embora muitos de vcs acreditem que os interesses financeiros prevalecam na busca para uma nova droga, nos, pesquisadores, trabalhamos da forma mais legitima possivel na busca de algo que possa aumentar a sobrevida dos pacientes. Em outras palavras: nos estamos dispostos a testar/estudar toda e qualquer substancia que possa trazer beneficios ao paciente. Nossos resultados sao publicados e vcs podem ter certeza de que, se qualquer uma das substancias testadas se mostrar eficiente (de fato), a comunidade medica/cientifica sera informada, bem como os pacientes. Nao desanimem e nao acreditem quando alguem disser que "ninguem liga" para o que esta acontecendo com seus familiares. Existem pessoas brilhantes trabalhando dia, e muita vezes noite, para encontrar uma droga para o Glioblastoma.
Um grande abraco a todos e nao percam a fe.

 
At 21:45, Anonymous Anônimo said...

Dia 30 de Julho de 2007, meu amado pai passa mal, a boca entorta ele meio que assustado pede socorro,e meu irmão o leva para o pronto socorro, chegando lá teve uma crise maior, que o leva á uma convulsão, os médicos suspeitam de um aneurisma, como não havia vaga na uti, levamos-o para outra cidade, á tres hrs de viagem em uma uti móvel, muito assustada, com tudo que havia acontecido tão repentinamente, pois meu pai jamais teve uma dor de cabeça seque., horas depois meu pai acorda como se nada houvesse acontecido, conversando normalmente sem lembrar de nada que havia passado, mas continuou internado para fazer alguns exames, dentre eles uma ressonância, foi aí que os médicos,
após a biópsia nos informaram tratar-se de gliobastoma multiforme,mas tbem foi só, não nos explicaram nada, foi aí que tomei á iniciativa de ir para internet, e descobrir por conta própria, o que seria este terrível diagnóstico,enfim meu mundo parecia desabar, meu pai fez à cirurgia o mesmo tinha 0,3cm , após esta ele acordou muito bem não apresentava nenhuma sequela, passado uns dez dias, começou a ter dificuldade para falar, o que o deixa muito stressado, pois sempre muito falante, independente,
e com seus 72 anos mais parece um jovem idoso hehe, enfim ele parece não ter muito interesse em saber muita coisa sobre esta maldita enfermidade, então fazemos o possível para poupá-lo, ele iniciára o trat com à radio+quimio(temodal),
ainda esta semana, ele tem muita força de vontade se alimenta bem, tem ótimo reflexo, até dirije (sempre com alguém do lado)fazemos questão dele fazer o que tem vontade pois acredito que isso o ajudará muito á enfrentar o que estar por vir, ele tbém está com dificuldade para ler, não esta sendo fácil para mim, mas foi neste seu blog que encontrei forças para ajudá-lo em seu tratamento, colhi algumas coisas de seu material, sobre alimentação e medicamentos e conversarei com o onco, mas já comecei com alguns alimentos, e chás foi ótimo encontrar um amigo como vc, muito obrigado., por esse motivo resolvi deixar em seu blog este texto, Miguel mas antes de encerrar está, quero dizer à vc e seus caríssimos leitores e colaboradores, que a fè em Deus , e o amor de Jesus Cristo sobre nossas vidas é que tem nos dado força, e esperança,que apesar da tormenta td acabará bem, pois é Deus quem tem que estar no controle de nossas vidas, JESUS DISSE IREI PARA O CEU E PREPARAREI- VOS UMA MORADA, estou nesta fé um grande abraço, JESUS AMA Á TODOS VOCES, fatima

 
At 22:28, Anonymous Anônimo said...

olá boa noite!
Meu nome é Sara e hj meu esposo fez uma ciruria no cérebro o diagnóstico foi DBM, fiquei sem chão, pois nunca tomou nenhum medicamento, nunca teve doença nenhuma, o pior q ele tb não tinha sintomas. Uma noite saiu do serviço e não veio para casa, procurei-o em td qto foi lugar, a principio achei q fosse depressão, mas levei-o a um psiquiatra este indicou-me um neuro, q por sua vez logo diagnosticou ser um tumor, pq naquele mesmo dia em q sumiu pela primeira vez teve incontinência urinária, então vi q o problema era sério. Resumindo em uma semana foi constatado glioblastoma e tb fez cirurgia hj 13/10/07, o pior dia da minha vida.

Tenho uma duvida sera q vc poderia me responder?

Como e de onde surge esta doenca, alimentacao? genetico?

Muito agradecida
sara

 
At 22:31, Anonymous Anônimo said...

olá boa noite!
Meu nome é Sara e hj meu esposo fez uma cirurgia no cérebro o diagnóstico foi GBM, fiquei sem chão, pois nunca tomou nenhum medicamento, nunca teve doença nenhuma, o pior q ele tb não tinha sintomas. Uma noite saiu do serviço e não veio para casa, procurei-o em td qto foi lugar, a principio achei q fosse depressão, mas levei-o a um psiquiatra este indicou-me um neuro, q por sua vez logo diagnosticou ser um tumor, pq naquele mesmo dia em q sumiu pela primeira vez teve incontinência urinária, então vi q o problema era sério. Resumindo em uma semana foi constatado glioblastoma e tb fez cirurgia hj 13/10/07, o pior dia da minha vida.

Tenho uma duvida sera q vc poderia me responder?

Como e de onde surge esta doenca, alimentacao? genetico?

Muito agradecida
sara

 
At 22:38, Anonymous Anônimo said...

esqueci de deixar meu e-mail para vc me responder por favor seja breve, pois estou mto desconsolada.
mto agradecida
sara

sarah@fcm.unicamp.br

 
At 00:40, Anonymous Caio said...

Novo tratamento contra Glioblastoma Multiforme
Em abril deste ano de 2007, saiu um novo tratamento contra GBM. São aquelas chamadas terapias alvo. É um medicamento do laboratório ROCHE.

A minha mãe foi diagnosticada em outubro de 2004. Desde então, ela vinha fazendo uso do TEMODAL para combater os 3 tumores que haviam nascido nela, ao longo deste período de 3 anos.

Com o uso do TEMODAL, o tumores não cresciam mas, também, não reduziam de tamanho. Eles ficavam lá, parados, até que em abril deste ano de 2007, após ressonancia, constatamos que todos os tumores da minha mãe haviam voltado a crescer, inclusive com o aparecimento de um 4º tumor, na região frontal. O Onco dela, então, receitou-lhe esta nova proposta de tratamento (terapia alvo). Ela começou a fazê-lo em agosto deste ano (2007). No início de setembro, ele fez nova ressonancia.

RESULTADO: TODOS OS TUMORES HAVIAM SUMIDO.

Estamos em outubro de 2007. A minha mãe já tenta levantar sozinha da cama, depois de 3 anos deitada; já come sozinha, já discute sobre os programas que estão passando na tv.

MEU DEUS! QUANTA MELHORA

Força e FÉ para todos. Nós vamos conseguir.

 
At 11:49, Anonymous Anônimo said...

Olá!!
Hoje, nem sei porque resolvi procurar alguma coisa sobre TEmodal.
Meu marido tem 37 anos e foi operado pela 1ª vez em janeiro de 2000 com resultado da análise do tumor como gliosbastoma multiforme grau III. Fez 38 sessões de radioterapia e depois ficou 2 anos e meio muito bem. Em outubro de 2003 teve uma recidiva e novamente foi operado. Em seguida fez radiocirurgia em Campinas. E em dezembro de 2004 teve nova recidiva. Então fez nova cirurgia e esteve tomando Temodal 400g em 5 ciclos mensais.
MÊs passado chegamos a definição junto com os médicos que ele deveria parar com o Temodal.
Eu considero que ele esteja curado!!
Juntamente com esse tratamento eu tomou Canovas e Selenium, receitados por um médico homeopata.
PRecisamos acreditar na cura e buscá-la sempre!!
Espero que esse relato dê esperança a algum de vcs e ajude nos seus estudos.
Obrigada,
Ana

 
At 14:47, Blogger Gustavo said...

Meu pai teve um diagnostico de GBM a dois meses no lado direito e parte de tras do cérebro, foi feita a cirurgia e os médicos disseram que estava encapsulado e que foi retirado por completo, após foi encaminhado para radioterepia e quimioterapia com TEMODAL (a 2ª aplicação será no dia 28/12), mas os médicos não nos dão informações suficientes sobre o que pode acontecer daqui pra frente e nem sobre terapias alternativas, gostaria de uma "luz" e uma esperança maior. Analisando o caso de meu pai, o que vocês teriam pra me dizer?

gustavofmelo@hotmail.com

 
At 16:30, Anonymous MARUSA said...

OLÁ.. DESCOBRIMOS UM GLIOMA DE GRAU IV EM MEU PAI NO INICIO DE DEZEMBRO... ELE JA FEZ A CIRURGIA E AGORA ESTA FAZENDO AS RADIOS E QUIMIO... ESTA REAGINDO BEM É O QUE ACHAMOS, MAS PELO QUE ESTOU ENCONTRANDO AQUI AS CHANCES DELE SÃO MUITO PEQUENAS... PODEM ME DIZER QUAL O MAIOR TEMPO DE VIDA DE ALGUM PACIENTES POR FAVOR, MEU PAI É TUDO PRA MIM....

 
At 16:32, Anonymous MARUSA said...

VOU DEIXAR MEU EMAIL AQUI.. maruzelena@hotmail.com

 
At 19:00, Blogger josciany said...

OLÁ, GOSTARIA DE SABER SE ALGUEM SABE DE UM REMEDIO, POIS TENHO UM FAMILIAR QUE TEM ESSE TUMOR GLIOBLASTOMA MULTIFORME GRAU IV, E PRECISO SABER DE ALGUM REMÉDIO QUE AJUDE A MELHORAR JÁ QUE NAO TEM CURA. ME FALARAM QUE SAIU UM MEDICAMENTO EM SETEMBRO DE 2007 MELHOR DO QUE O TEMODAL. POR FAVOR ME AJUDE.
ASS.: JOSCIANY (E-MAIL: JOSCIANY@HOTMAIL.COM)

 
At 22:47, Anonymous Anônimo said...

Olá, é a primeira vez que entre nesse blog, e com certeza vejo que não é só eu que estou sofrendo por um ente querido que está com essa doença. Em Dezembro de 2006 foi descoberto o GLIOBLASTOMA MULTIFORME na minha Mãe, depois de alguns meses de muitas dores de cabeça e algumas fortes tonturas até que na virada do Natal ela amanheceu com o braço paralizado... nós pensavamos que ela tinha tido um derrame.. levamos ao médico e foi feito uma tomografia, para nossa supresa o médico disse que era um derrame e que não deviamos nos preocupar. resumindo a hitória, nem 2 semanas se passaram e minha Mãe foi ficando cada vez pior quando foi constatado esse tumor, foi um choque pra família mas...
Eu sai de SP para ir vê-la, tomei conta de tudo e assinei sua cirurgia, depois de 30 radioterapia e quase 10 meses de minha Mãe boa sem dor sem nda..
Começou tudo de novo, voltou o tumor, mas úm médico já deu alguns meses de vida um outro ta dando vários remédios entre eles está o DECRADRON E O TINENOL para retirar as dores de Cabeça pois hj minha Mãe tem muita... e ela mudou muito.. está muitissima inchada e nao consegue mais andar devido a tontura e o mal estar...

Amigo se vc souber de algum remédio ou algo q faça minha Mãe melhorar um pouco... pq senão a olhos humanos ela nã terá mais muito tempo de vida.. pois os remédios eram de 8 em 8 h e agora passaram e se de 6 em 6 para diminuir as dores...

grato e desculpa pelo tamanho do texto...

abraços Elias

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Health 
Blog Top Sites Blog Directory